B I B L I O T E C A ± T Z I K I . N E T
T I T U L O :
Corto Maltese - Na Sibéria
A U T O R :
Hugo Pratt
E D I T O R A :
Arte de Autor
G É N E R O:
Banda Desenhada
P Á G I N A S :
120
L I N G U A :
Banda Desenhada
E T I Q U E T A S :
Viagens, Mar, Banda Desenhada Europeia
S I N Ó P S E :
A aventura começa sempre em Veneza – ou por um sonho de Veneza. Corte sconta detta arcana, o título original de Corto Maltese na Sibéria, refere-se-lhe directamente. Um corte sconta, em veneziano, é um pátio secreto, dissimulado aos olhares de fora. Na Sibéria abre com Boca Dourada e termina com Xangai Lil, duas mulheres «fatais», no sentido de fatum, o destino. Estas são duas mulheres que gostaríamos de poder amar. Corto não é um sedutor, é um seduzido; em eterno rejeitado, um viajante na bela melancolia que desfere as frases e os golpes definitivos. Nestes corte sconta, o coração da aventura tem o nome de Sibéria. A Sibéria da guerra civil entre 1918 e 1921, a Sibéria contada por Joseph Kessel ou Ferdynand Ossendowski, a Sibéria do almirante Kolchak, do atamã Semenov e do barão von Ungern; a Sibéria dos Vermelhos, dos Brancos, dos Chineses, dos Mongóis e dos comboios blindados.”