B I B L I O T E C A ± T Z I K I . N E T
T I T U L O :
Ministros da Noite - Livro Negro da Expansão Portuguesa
A U T O R :
Ana Barradas
E D I T O R A :
Antígona
G É N E R O:
História, Ensaio
P Á G I N A S :
190
L I N G U A :
História, Ensaio
E T I Q U E T A S :
História, Portugal, Colonianismo
S I N Ó P S E :
Obra de indiscutível actualidade em tempos de racismo estrutural – impossível de tapar como o sol com uma peneira —, visível na violência policial, em artigos de jornal e em ideias peregrinas como a construção de museus que celebram as descobertas, Ministros da Noite — Livro Negro da Expansão Portuguesa (1991) chega à sua quarta edição, com um novo prefácio de Ana Barradas. Esta colectânea de textos recolhidos em cinco séculos de historiografia nacional é uma tentativa de desmontagem do discurso colonial que tem acomodado a nossa cultura ao nacionalismo e à xenofobia. Um discurso hoje modernizado, envolto nas roupagens envernizadas do neoliberalismo, servido de bandeja com a grandiloquência própria de um regime de novos-ricos, prosaico herdeiro da comemorativite aguda reavivada pelo fascismo dos anos 30. Dando um panorama de amplo fôlego — da escravização dos africanos ao genocídio dos povos indígenas, das viagens marítimas à guerra colonial — e um testemunho da história desprezada que foi a resistência ao expansionismo português, este livro reconhece sem peias o logro da excepção do colonialismo nacional, revelando o avesso dos triunfos civilizadores e da gesta heróica dos ousados navegadores que a bafienta propaganda alardeava, com ecos nas gerações de hoje.