B I B L I O T E C A ± T Z I K I . N E T
T I T U L O :
Homenagem à Catalunha
A U T O R :
George Orwell
E D I T O R A :
Antígona
G É N E R O:
Reportagem
P Á G I N A S :
288
L I N G U A :
Reportagem
E T I Q U E T A S :
Catalunha, Espanha
S I N Ó P S E :
A Revolução Espanhola ocupa um lugar-charneira na obra de George Orwell. Escrita no final da Guerra Civil Espanhola (1936-1939) a partir da sua própria experiência na frente de combate, Homenagem à Catalunha é uma obra ímpar onde o autor descreve, com o agudo poder de observação que o caracterizava, o confronto entre os vários grupos revolucionários, incluindo as clivagens internas entre os republicanos. «George Orwell tinha uma franqueza rara entre a esquerda militante. Dizia o que via, mesmo que isso pusesse em causa o que até então havia pensado, e enquanto outros procuraram disfarçar os seus ziguezagues políticos ao longo das décadas de 1930 e 1940, ele deixou sempre claras as suas mudanças de orientação. Caracterizava-o também um agudo poder de observação, que o elevou ao nível de alguns grandes sociólogos para quem os fundamentos do rigor científico residiam no olhar próprio, e não em inquéritos inspirados pela prospecção de mercado. A clivagem entre republicanos e fascistas era evidente. Muitíssimo menos evidente era a clivagem interna no campo republicano, opondo de um lado numerosos trabalhadores, que pretendiam converter a guerra civil numa revolução social, e do outro lado o Partido Comunista e a burocracia dos sindicatos anarquistas, para quem se tratava em primeiro lugar de impedir que a guerra civil comprometesse as instituições políticas e económicas do Estado capitalista. Conseguindo ter desde cedo uma noção clara deste dilema, Orwell pôde analisar lucidamente as peripécias da guerra civil.» João Berna