B I B L I O T E C A ± T Z I K I . N E T
T I T U L O :
Histórias de Nova Iorque
A U T O R :
Enric González
E D I T O R A :
Tinta da China
G É N E R O:
Viagens
P Á G I N A S :
170
L I N G U A :
Viagens
E T I Q U E T A S :
Viagens, EUA
S I N Ó P S E :
palavra ‘deslumbramento’ não é exagerada. Livros sobre cidades são quase tantos como as estrelas no céu, mas, que eu conheça, nenhum é como este. Julgava eu que conhecia satisfatoriamente Manhattan e os seus arredores, mas a dimensão do meu engano tornou‑se‑me clara logo às primeiras páginas do livro. Poucas leituras me deram tanto prazer nestes últimos anos.» — José Saramago «Há neste livro uma grave inverdade (perdoe‑se‑me a linguagem parlamentar): escreve o autor, a páginas tantas, que o leitor, aqui, ‘não aprenderá grande coisa’. Enric González, dirigindo‑se a quem o lê, permite‑se até usar o modo imperativo: ‘ponha de parte este livro’. A ordem chega tarde de mais, evidentemente: depois de lidas 50 páginas, duvido que alguém abandone por vontade própria Histórias de Nova Iorque. Reponha‑se então a verdade: este livro tem muito para ensinar. Aprenderá com ele mesmo quem julga conhecer bem, ou pelo menos satisfatoriamente (ver‑se‑á mais adiante a pertinência do advérbio), a cidade que, diz a canção, nunca dorme.» — Carlos Vaz Marques