B I B L I O T E C A ± T Z I K I . N E T
T I T U L O :
Uma Conjura de Saltimbancos
A U T O R :
Albert Cossery
E D I T O R A :
Antígona
G É N E R O:
Ficção
P Á G I N A S :
252
L I N G U A :
Ficção
E T I Q U E T A S :
Médio Oriente, Sociedade, Pobreza
S I N Ó P S E :
Das oito obras publicadas por Albert Cossery em quase sessenta anos de carreira literária, a Antígona publica Uma Conjura de Saltimbancos ao sexto título, a que se seguem Os Homens Esquecidos de Deus e Uma Ambição no Deserto. Ao editar a obra completa de Cossery, a Antígona presta assim uma legítima homenagem ao escritor que tem da vida uma concepção original, não se deixando levar pelas notícias dos jornais e sabendo muito bem ler nas entrelinhas. «A vida é maravilhosa, mas é preciso uma pessoa saber desprender-se de tudo o que desgraçadamente dá felicidade aos imbecis» – afirma em entrevista ao Magazine Littéraire. Em 1990, a Academia Francesa atribuiu-lhe pelo conjunto da sua obra o Grande Prémio da Francofonia e, em 2000, um júri composto por escritores de nomeada concedeu-lhe o Prémio Mediterrâneo pelo seu último romance, As Cores da Infâmia. A leitura de Uma Conjura de Saltimbancos ajuda-nos a preservar a sanidade mental. São histórias de jovens que conspiram para se divertir, contrariando a roda infatigável do hábito e da rotina no quadro de uma cidade de província onde aparentemente não se passa nada mas, no fundo, fervilham mistérios e maravilhas.